Posts Tagged ‘indie’

Laura, Heather and Calvin

outubro 8, 2008

Não tenho muito o que escrever sobre o Beat Happening. Pelo menos nada que você não saiba. Então vou escrever mais ou menos o por que de todo esse universo da K Records ter um certo papel importante no meu senso musical.

Calvin Johnson é para mim uma das figuras mais importantes em termos de atitude perante o cenário musical. É claro que ele nunca vai entrar em alguma enciclopédia da música ou algum livro do tipo, apesar de ser uma das pessoas mais respeitadas quando se fala de pequenas gravadoras e produção musical independente.
No meio de todo aquele movimento punk/HC americano e do comecinho do grunge durante os anos 80, timidamente Calvin Johnson criou em Olympia um movimento próprio, usando a filosofia DIY do punk para quebrar os padrões convencionais do rock e, de certa forma, criou um novo modo de se portar na sociedade. A K Records e o Beat Happening adotaram o hoje batido senso estético “lo-fi”, com uma atitude primitiva e não convencional de tocar e gravar música.
Desde moleque, Calvin se interessou por música independente. Depois de crescer ouvindo Velvet e Stooges, em 1977 ele já passava grande parte de seu tempo contribuindo para um “certo” fanzine chamado Sub Pop… Alguns anos depois ele resolveu montar sua própria gravadora, com um único ideal: lançar discos de bandas desconhecidas que nenhuma outra gravadora lançaria, sempre fazendo tudo por conta própria, seja as capas dos discos, as gravações e a divulgação. Em uma entrevista para a CBC em 1995, ele disse que “só queria lançar os discos das bandas dos meus amigos, o que é exatamente o que eu faço até hoje…”.

Admiro essa “necessidade” de buscar por pequenas bandas desconhecidas. Desde que toda esse mito criado pela K Records chegou ao meu alcance, comecei a criar o interesse de pesquisar e passar para frente essas bandas.
Para entender mais sobre tudo isso do que eu resumidamente escrevi, recomendo a leitura do tão falado artigo do Nitsuh Abebe (cheguei a traduzir, mas nem lembro mais onde coloquei) e do obrigatório livro Our Band Could Be Your Life, do Michael Azerrad, sobre o cenário independente americano dos anos 80. Devo postar até o fim dessa semana o documentário The Shield Around the K sobre o legado da K Records.

Voltando para o Beat Happening, a caixa Crashing Through foi lançada em 2003 em uma edição de apenas 5.000 cópias. São os cinco discos de estúdio, um disco de raridades e b-sides e um sétimo disco com alguns vídeos e algumas canções de um show com o Vaselines.
É uma boa oportunidade para quem não conhece bem a banda ou a estética sonora confeccionada pelo mestre Calvin Johnson.

Beat Happening (1985)

Jamboree (1988)

Black Candy (1989)

Dreamy (1991)

You Turn Me On (1992)

Music To Climb The Apple Tree By (2003)

Bonus Disc (2003)

Anúncios

Pastels remixado

setembro 19, 2008

Mais Pastels… Illumination foi o segundo e último disco lançado pela Domino. Diferente dos discos anteriores, aqui a banda soa mais densa, deixando de lado as guitarras estridentes e a produção suja, mas ainda sim as músicas conseguem ser cativantes. Acho que é o meu disco favorito deles (“The Hits Hurt” é um das músicas que mais ouvi na vida), tirando os fabulosos singles, claro.

Um ano depois, em 1998, é lançado um disco com versões remixadas, chamado Illuminati. Algumas pérolas feitas por gente como Stereolab, My Bloody Valentine, Jim O’Rourke e Mouse On Mars, fazem valer o disco.

The Pastels – Illumination (1997) [Domino]

The Pastels – Illuminati: Pastels Music Remixed (1998) [Domino]

demo tape

setembro 19, 2008

Falar do Pastels é falar de toda a minha concepção sobre música, “industria” musical e ideologia musical, tanto que já falei bastante do Stephen Pastel e sua banda por aqui.
Essa fitinha, Entertaining Edward, é uma compilação com as primeiras gravações e algumas musicas ao vivo. Foi feita em 1982 pelo Stephen e distribuída com alguns fanzines da época (vou tentar colocar a arte escaneada nos próximos dias).

The Pastels – Entertaining Edward K7 (1982)

tracklist:

01 (Your Love) Paint It! (Stephen Pastel October 1982) 0:28
02 Heavens Above #1 (Ist Pastels Demo 1982) 2:05
03 Christmas Time Cloud 9 (Ist Pastels Demo 1982) 1:21
04 I Wonder Why (Ist Pastels Demo 1982) 2:01
05 Girl In My Soup (Ist Pastels Demo 1982) 2:37
06 Embryonic Sequence (1st Gig 1.5.81) 2:48
07 Mystery Track 1:29
08 David Watts (2nd Demo 12.8.82) 1:03
09 Boredom (2nd Demo 12.8.82) 2:43
10 Blue Bus-instrumental (2nd Demo 12.8.82) 1:44
11 Part Time Punks 82 (2nd Demo 12.8.82) 2:07
12 I Wonder Why (2nd Demo 12.8.82) 1:52
13 (Alone In The) Paintbox 3:11
14 Lunar Park 2:49
15 Return To Cloud 9 (1st Pastels Demo) 1:04
16 Submarine Attack (Stephen 1981) 1:08
17 Submarine Attack #2 1:55
18 I Like Painting (1st Ever Version) 1:36
19 Radio Spot On Pastels & Strawberry Switchblade 0:46
20 Te-Time Song (Radio Plug) 0:29
21 Heaven’s Above (Peel Intro) 0:21
22 (Alone In the) Paintbox (Recorded Live 27.6.82) 3:27
23 I Wonder Why (Recorded Live 27.6.82) 2:29
24 Jenny Braitwait (Recorded Live 27.6.82) 0:43
25 Roadrunner (Recorded Live 27.6.82) 3:14
26 Simon (October 1982) 2:38
27 Diesel Local Train (Recorded Live 27.6.82) 2:18
28 Wild Thing (Recorded Live 27.6.82) 1:52
29 Sequence of Songs (Rehearsal 24.10.82) 3:20
30 Past Present Future (1st Pastels Demo) 1:47
31 Heaven Again (Recorded Live 27.6.82) 4:03

calmaria

agosto 19, 2008


O Sea and Cake é uma banda tediosa, mas no bom sentido (se é que existe um). Eles nunca fizeram tanto sucesso quanto algumas outras bandas que surgiram na mesma época, no boom do indie 90. Talvez pelo fato das musicas soarem como brisas, passando assim quase desapercebidas. Os discos são recheados de canções leves e sutis, apesar de quase nunca usarem recursos acústicos ou criarem músicas para golfinhos.
Car Alarm é o oitavo disco da banda, quase que um resumo dos 15 anos de carreira. Flertando com a bossa e com o jazz não improvisado, ouvir esse disco é como ter aquela sensação dormente antes de cair totalmente no sono. Aqui eles soam mais confortáveis do que nunca, fazendo um disco delicioso de se ouvir nos momentos mais tranqüilos do seu dia.

The Sea and Cake – Car Alarm (2008) [Thrill Jockey]